sexta-feira, 10 de janeiro de 2014

Ribeirão Preto - Curso de capacitação sensibiliza motoristas de ônibus para transporte de passageiros com necessidades especiais


Ribeirão Preto, 07 de Janeiro de 2014 - 18h40

Motoristas do transporte coletivo de Ribeirão Preto estão participando de um curso, onde ficam caracterizados como pessoas com necessidades especiais


 Foto Roberto Galhardo

Odésio Pinheiro da Silva enfrentou as dificuldades que um cadeirante tem ao utilizar o transporte coletivo
 

Odésio Pinheiro da Silva tem 29 anos e há seis meses atua como motorista de ônibus do Consórcio PróUrbano. Nesta terça-feira, dia 7, ele tornou-se um cadeirante “temporário” para “sentir na pele” as dificuldades enfrentadas por pessoas nessas condições e que se utilizam do transporte coletivo. “A gente sabe muita coisa na teoria, mas na prática a sensação é muito diferente”, afirmou.

A experiência de Odésio fez parte de um treinamento denominado "Pró-Humano", desenvolvido pelo Programa de Formação Especializada em Transporte do Sest/Senat, envolvendo uma parceria com a Transerp, empresa que gerencia o trânsito e o transporte urbano de Ribeirão Preto e o Consórcio PróUrbano.
Mais de 600 profissionais já participaram deste treinamento, onde são abordados comportamentos adequados no atendimento a todos os tipos de usuários do transporte coletivo, com ênfase para pessoas com necessidades especiais.
No treinamento, intitulado “Transporte para Todos”, é abordado o atendimento às pessoas com restrição de mobilidade permanente ou temporária, iniciando com uma dinâmica, onde os motoristas se deslocam com pesos nas pernas, com cadeira de rodas, com óculos sujos/viseira para simular baixa visão ou cego, ou com protetor de ouvido, simulando usuário com deficiência auditiva.

 
Para o motorista Eduardo dos Reis, é preciso ficar atento àspessoas com deficiência de mobilidade
 

Eduardo dos Reis, de 34 anos, trabalha há dois anos como motorista. “É muito importante para nossa qualificação. As pessoas com dificuldade de mobilidade têm dificuldade no embarque e desembarque e nós precisamos ficar mais atentos”, afirmou.
Há oito anos trabalhando como motorista, Sérgio Aparecido de Souza disse que já quebrou o pé e passou por uma situação de dificuldade. “Mas foi temporário. Aqueles que têm necessidades especiais permanentes acabam sendo mais afetados”, ressaltou.

 
Há oito anos trabalhando como motorista, Sergio de Souza disse que já quebrou o pé e passou por uma situação de dificuldade
 

A última etapa do curso está prevista para a próxima terça-feira, dia 14.

Fonte: Prefeitura de Ribeirão Preto

Nenhum comentário:

Postar um comentário